Campanha incentiva consumo nos pequenos negócios para movimentar a economia local

compre-do-pequeno

Na segunda semana de fevereiro o comércio do Espírito Santo ficou prejudicado por uma crise na segurança. Neste período muitos comerciantes não puderam abrir seus estabelecimentos e alguns sofreram com arrombamentos e assaltos.

Na tentativa de fazer com que estes comércios voltem a lucrar, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Espírito Santo (Sebrae ES) trouxe de volta a campanha Compre do Pequeno. O objetivo é incentivar a população a adquirir produtos e serviços de pequenos negócios, que representam 99% das empresas no Espírito Santo.

A campanha Compre do Pequeno foi lançada pela primeira vez em 2015 para celebrar o Dia da Micro e Pequena Empresa, comemorada no dia 5 de outubro.

O que são pequenos negócios?

Sabe aquela padaria perto da sua casa? Aquele mercadinho, a farmácia do seu bairro, o salão de beleza da sua vizinha, a lanchonete. Falando genericamente, eles podem ser considerados pequenos negócios, pois são estabelecimentos que possuem, normalmente, poucos funcionários e não chegam a faturar tanto quanto grandes empresas.

Mas por que devo comprar dos pequenos negócios?

Os pequenos negócios capixabas são fundamentais para a economia do estado, sendo responsáveis por 28% do PIB e 56% dos empregos formais. Muitas pessoas têm sua primeira oportunidade de trabalho em empresas pequenas.

No meu bairro os preços de muitos produtos e serviços são mais caros do que em grandes centros.

Isso acontece porque muitas vezes o empresário de pequenos negócios tem dificuldade de comprar os produtos em grande quantidade, se tornando mais caro também para ele, que precisa repassar o valor para o cliente. Isso normalmente acontece porque ele tem um estoque pequeno, já que quantidade de produtos comprados em seu estabelecimento é menor. A medida que isso muda, que as pessoas passam a comprar mais produtos com ele, é possível fazer um estoque maior, conseguindo, consequentemente, um preço mais baixo nessa compra podendo, então, repassar ao cliente final.

Então quais as vantagens para mim, consumidor?

Ao comprar no seu bairro, você ajuda a movimentar a economia local. O dinheiro passa a circular por ali mesmo. Por exemplo, você vai ao Salão de Beleza ou Barbearia e paga por aquele serviço. O empresário deste estabelecimento recebe e usa o dinheiro para comprar mais produtos na farmácia vizinha e assim por diante. Além disso, quando o número de clientes aumenta numa determinada região outros empreendedores abrem novas empresas no local, aumentando a concorrência. Com isso, os preços passam a ser mais competitivos e a qualidade dos produtos também aumenta.

Como eu, empresário, posso aumentar minhas vendas nesse momento?

Muitos comerciantes ainda estão preocupados com a situação da segurança no estado, apesar de todas as ações do governo, mas a maioria resolveu enfrentar o medo e abrir seus estabelecimentos como de costume. Dessa forma, as ruas ficam movimentadas e a população também se sente um pouco mais segura para tentar voltar à rotina.

E mesmo que você sofrido prejuízos por não abrir seu estabelecimento durante alguns dias, não adianta tentar obter lucro desses dias aumentando preços dos produtos ou serviços. É preciso ainda mais esforço, dedicação e trabalho para conquistar os clientes e, assim, realizar suas vendas.

Uma dica é oferecer um atendimento diferenciado, buscando cativar e fidelizar o seu público. Ficar atento às necessidades do cliente, ouvir as demandas dele, ser sincero, são atitudes que encantam e fazem o cliente se sentir seguro no estabelecimento.

Oferecer promoções também pode ser uma boa ideia, pois é uma palavra mágica que atrai consumidores. Pode ser um frete mais barato ou desconto em produtos ou serviços específicos. O importante é mostrar ao cliente que ele está sendo beneficiado.

Fique também de olho na concorrência. Seja no concorrente similar ou maior que você, que fornece um serviço ou produto igual ou semelhante ao da sua empresa, fique atento para saber como está o mercado e quais as necessidades e desejos do cliente você tem mais chances de atender. Mas lembre-se sempre de ser fiel aos seus valores e aos do seu negócio.

Uma outra dica é fazer propagandas na internet, promovendo postagens na página ou perfil da empresa nas redes sociais. Esse canal tem sido importante aliado na divulgação de produtos e serviços, com grandes alcances. Até mesmo os anúncios pagos têm um valor baixo e podem trazer grandes resultados.

O segredo de tudo é não desanimar. Arregaçar as mangas novamente, erguer a cabeça, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Com empresários e consumidores unidos, cada um fazendo a sua parte, é possível fortalecer a economia local novamente. Vamos todos juntos pelo bem do nosso estado. #CompreDoPequeno.


Já leu nosso último post “30 opções de franquias para trabalhar de casa!? Confira aqui.

30 opções de franquias para trabalhar de casa

As franquias têm sido a opção de muitos empreendedores que estão abrindo seu próprio negócio. Isso porque esse modelo permite que o empresário inicie um negócio contando com a credibilidade de um nome ou marca já conhecida no mercado, além de receber treinamento, marketing e auxílio na gestão do negócio já testado anteriormente, diminuindo as chances de erro.

Se você pretende investir em uma franquia, mas não dispõe de muitos recursos, pode optar por empresas que permitam o trabalho em casa. Sem ponto comercial o gasto diminui, além da comodidade de tocar o negócio de forma móvel. Entretanto, é necessário muita disciplina, organização e planejamento por parte do franqueado para que o negócio seja um sucesso.

Nós já trouxemos aqui no Blog Sebrae ES um post com 7 aplicativos que vão facilitar a vida de quem trabalha com home office, que pode ser muito útil para você, caso opte por essa modalidade.

Se você gostou da ideia e pensa em abrir uma franquia home based, CONFIRA 30 opções de franquia selecionadas pela EXAME.com:

1. AcquaZero

A AcquaZero, que trabalha com lavagem ecológica e estética automotiva, possui mais 214 unidades e pretende, em 2015, comercializar 20 franquias por mês. A marca está há seis anos no mercado e oferece serviços como enceramento, cristalização de vidros, limpeza técnica de motor, impermeabilização de estofados, higienização de ar-condicionado, entre outros. A AcquaZero trabalha com dois modelos de franquia home based: o Licenciamento e o Delivery. O investimento inicial no modelo Delivery vai de 20 mil reais e chega a 30 mil (com carro reboque). Nesse modelo, o faturamento médio mensal é de 30 mil reais e o prazo de retorno do capital investido é de 12 a 18 meses.

Acquazero - Reprodução-Facebook-AcquaZero Estética Automotiva.jpg

2. AutoSPA Express

A AutoSPA Express, que tem 40 unidades e está no mercado há cinco anos, oferece lavagem ecológica e estética automotiva. A rede pretende crescer 25% em 2015. A marca só trabalha com franquias home based, que promovem serviços como lavagem ecológica, polimento e cristalização, espelhamento da pintura, impermeabilização interna, higienização interna, higienização do ar-condicionado, entre outros.

O investimento inicial é de 15 mil reais e o faturamento mensal do negócio é estimado em seis mil reais. A previsão de retorno do investimento é de a partir de seis meses de operação.

autospaexpress-divulgacao

3. Ahoba Viagens

A Ahoba Viagens é uma rede de franquias de viagens online que se conecta ao cliente através de voz, texto e vídeo. A marca conta com 57 unidades em operação e pretende atingir 100 delas até o final do ano. O forte da Ahoba Viagens é que o franqueado possa vender em sua comunidade ou rede de relacionamentos, como uma segunda renda, evitando, segundo a marca, compras online sem suporte. O investimento inicial é de três mil reais. O faturamento médio mensal é de dois mil reais e o prazo de retorno parte de três meses de franquia.

ahoba-viagens-gettyimages

4. Concretta

A Concretta, escola que oferece cursos de capacitação para mão-de-obra da construção civil, acabou de lançar um modelo de negócio que não exige ponto físico do franqueado. O professor atua como autônomo e vai de encontro aos alunos para realizar aulas práticas e teóricas, individuais ou em grupos fechados. A marca possui hoje 50 unidades vendidas de todos os seus modelos e a expectativa é que, até o final do ano, 30 franquias home-based sejam vendidas. O investimento inicial é de 36 mil reais e o faturamento médio mensal é de 10 mil reais. O prazo de retorno é estimado em 12 meses.

A rede também oferece modelos de franquia que exigem salas de aula.

concretta-divulgacao

5. DivulgaPão

A DivulgaPão, franquia de publicidade em sacos de pão, tem hoje 290 unidades e a meta é atingir 320 franquias até o final deste ano. Nesse modelo de negócio, cabe ao franqueado credenciar uma rede de padarias parceiras que veicularão os anúncios no saco de pão e vender os espaços aos anunciantes de todos os portes e segmentos. O investimento inicial da franquia é de 20 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 12 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de seis a oito meses.

divulgapao-divulgacao-divulgapao

6. DocSystem

A DocSystem, que atua em software e serviços de informática, tem 61 unidades em operação. A expectativa é fechar o ano com 100 unidades em funcionamento. A marca tem dois modelos de franquia que podem ser administrados de casa: o DocSystem Silver e o DocSystem Express. Para o modelo DocSystem Express, o investimento inicial é de 19,7 mil reais. Já para o Home Silver, o investimento fica por 29,2 mil reais. O faturamento mensal dos dois modelos de franquia é de oito mil reais. O prazo de retorno é de sete a 12 meses. A rede também tem dois modelos que necessitam de um investimento maior e de funcionários: o DocSystem Gold e DocSystem Platinum.

docsystem-divulgacao

7. Dona Resolve

A Dona Resolve, rede de franquias especializada em serviços domésticos e facilidades do dia a dia, tem hoje 47 unidades funcionando e outras 37 em fase de inauguração. A meta para 2015 é chegar a 120 unidades em funcionamento. A rede foi criada em 2013 e os serviços oferecidos incluem diaristas e mensalistas, motoristas, cozinheiras, babás, dog walkers, personal organizers, pet sitters, entre outros. O investimento inicial para a operação home based é de 30 mil reais. O faturamento médio mensal é também de 30 mil reais e o prazo de retorno começa em 12 meses. A marca também oferece um modelo de franquia com ponto comercial.

dona-resolve-divulgacao

8. Doutor Auto Dry

A Doutor Auto Dry, rede de franquias especializadas em lavagem ecológica e estética automotiva sustentável, conta com 23 unidades em operação e pretende fechar este ano com 75 unidades comercializadas. A marca nasceu em 2014, no interior do estado de São Paulo. Atualmente, a rede trabalha com três modelos Delivery: o Carrinho Ducha Seca (licenciado), o Carrinho Doutor Auto Dry e o Triciclo Doutor Auto Dry. O investimento inicial varia de cerca de quatro mil reais a seis mil reais, dependendo do modelo adotado. O faturamento médio mensal vai desde de oito mil reais a 10 mil reais. O prazo de retorno do investimento varia de dois a nove meses.

doutor-auto-dry-divulgacao

9. Elefante Verde

O Elefante Verde foi fundado em 2011 e começou com o franchising no ano seguinte. São 50 unidades e a marca espera alcançar 80 delas em 2015. A startup e rede de microfranquias trabalha com marketing digital em uma única plataforma, com serviços como site, e-mail, avaliações de consumidores, e-mail marketing e cupons de descontos. O modelo home based se chama Franquia Light e é disponibilizado apenas para cidades com até 50 mil habitantes. O investimento inicial é de 13 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal varia entre sete e 10 mil reais. O prazo de retorno vai de 12 a 18 meses. A Elefante Verde também oferece outro formato, com ponto comercial, para cidades maiores.

elefrante-verde-thinkstock-ingram-publishing

10. Ensina Mais

A Ensina Mais, marca especializada em complemento escolar aos estudantes do Ensino Fundamental, tem 250 franquias distribuídas pelo país. Lançada em 2012, a rede pretende crescer 20% em 2015. A metodologia da Ensina Mais é baseada na interação das crianças e adolescentes com recursos tecnológicos, com aulas de português, matemática, inglês e informática.

O investimento inicial para uma franquia é de 40 mil reais. O faturamento médio mensal é de cerca de sete mil reais e o prazo de retorno é de 18 a 24 meses. A marca também conta com outros três planos de negócio que não são home based: o Center, o Flex e o Inschool.

ensina-mais-divulgacao

11. ERA

A ERA (Expense Reduction Analysts) é uma franquia criada em 1992 na Inglaterra e que trabalha com consultorias de redução de custos para empresas, por reformulações de contratos e readequação de preços e tarifas. A marca chegou ao Brasil em 2004 e tem 11 franqueados. Ela planeja abrir mais quatro unidades em 2015. O investimento inicial é de 125 mil reais. A remuneração dos franqueados da ERA não vem de honorários ou qualquer tipo de taxa, e sim dos ganhos de 50% sobre tudo o que conseguem economizar. A estimativa de faturamento médio mensal vai de 15 mil reais a 20 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de 24 meses.

era-racheocity-flickr

12. FlyWorld

A FlyWorld, microfranquia de turismo no Brasil, tem 40 unidades em operação no país. Criada em 1987, a empresa pretende se expandir nas regiões Norte e Nordeste e abrir 25 unidades nessas regiões. O franchising começou em 2013. O investimento inicial para uma microfranquia da FlyWorld varia de acordo com o número de habitantes do local do negócio: para até 50 mil habitantes, o investimento é de 12,5 mil reais; já para cidades com mais de 50 mil habitantes, o investimento sobe para 19,5 mil. O faturamento bruto é de 50 mil reais e o prazo de retorno do investimento vai de seis a 12 meses.

flyworld-divulgacao

13. Gigatron

A Gigatron, empresa do setor de tecnologia, foi fundada em 1997. Hoje, a marca possui 84 unidades em operação e tem a expectativa alta de chegar a 200 unidades neste ano, que também marca o começo do oferecimento de franquias. A rede possui sete modelos de franquia, sendo que cinco deles permitem trabalhar de casa: o Giga SMS, o Software, o Giga WebSite, o App Lovers e o Giga Certificadora. O investimento inicial vai de 940 reais até 10 mil, dependendo do tipo de franquia escolhido. Já o faturamento médio mensal varia de cerca de mil reais a 22 mil reais. O prazo de retorno para o investimento é de até 24 meses.

gigatron - divulgação.jpg

14. Guia-se Negócios pela Internet

A Guia-se Negócios pela Internet é uma franquia de marketing digital e com formato adaptado para trabalhar em casa. A marca foi criada em 1997 e possui hoje 100 unidades. A rede oferece serviços como consultoria de marketing digital, criação de site, desenvolvimento de loja virtual, links patrocinados no Google e no Facebook, SEO, e-mail marketing, mídias sociais, hospedagem de site e e-mails.

O investimento inicial para a franquia é de 30 mil reais e o faturamento bruto mensal é estimado em 15 mil reais. O prazo de retorno para o investimento é de seis a 24 meses.

guia-se-divulgacao

15. Jan-Pro

Todas as franquias da Jan-Pro, que opera no setor de limpeza corporativa e industrial, são home based. São 19 planos de franquia, começando com investimentos de sete mil reais e chegando a 118 mil reais. A Jan-Pro está no Brasil desde 2011 e tem 160 franquias operando no país, com 12 mil no mundo. A expectativa, para 2015, é vender mais 50 franquias no Brasil. O plano mais vendido pela Jan-Pro é o FP-30, com investimento inicial de 32 mil reais. O faturamento médio mensal é de sete mil reais e meio. O prazo de retorno do investimento é de 24 meses, contando que o faturamento não suba com o passar dos meses.

jan-pro-divulgacao

16. Leader Kids

A Leader Kids oferece um conjunto de programas educacionais extracurriculares voltado para crianças entre dois e nove anos de idade. O método adotado pretende estimular o desenvolvimento das competências socioemocionais do aluno. A marca foi inaugurada no ano passado e tem três unidades, atendendo escolas da zona oeste carioca. A expectativa é abrir mais 20 unidades neste ano. O investimento inicial para a franquia é de 29 mil reais e o faturamento médio mensal é de 25 mil reais. O prazo de retorno varia de 12 a 24 meses.

leader-kids-divulgacao

17. Learning Fun

A Learning Fun, que oferece inglês para crianças, foi criada em 1990 e começou com o franchising sete anos depois. A marca tem 33 unidades, sendo que a grande maioria é home based. A expectativa para este ano é abrir 10 novas franquias, sendo metade nessa modalidade.

O investimento inicial para a franquia home based é de cerca de 27 mil reais. O faturamento médio mensal é de 10 mil reais e o prazo de retorno vai de 12 a 24 meses. A rede também oferece o modelo de franquia para curso de idiomas e para escola bilíngue.

learning-fun-divulgacapo

18. Light Depil

A Light Depil é uma rede focada no tratamento de fotodepilação, com o uso da técnica da Luz Pulsada, nos formatos a domicílio ou Store in Store (dois negócios no mesmo espaço). A marca existe desde 2010. Hoje, são 30 unidades em funcionamento. A rede pretende crescer 25% neste ano.

O investimento inicial da franquia é de 15 mil reais e o faturamento médio mensal é de 10 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de a partir de seis meses.

light-depil-divulgacao

19. Master House

A Master House, que promove serviços em reparos, reformas e manutenções, tem 11 unidades operando e pretende fechar 2015 com 30 unidades. A marca foi fundada em 2012 e está no franchising desde o ano passado. Entre os serviços oferecidos, está o de alvenaria, encanamento, eletricidade, pintura residencial e comercial, jardinagem, impermeabilização e manutenção predial. O investimento para a franquia home based é de 15 mil reais. O faturamento mensal fica em torno de 10 mil reais e o prazo de retorno vai de seis a 12 meses. A Master House também tem uma franquia em formato de loja.

master-house-divulgacao

20. Mídia Pane

A Mídia Pane, que trabalha com publicidade em sacos de pão, oferece apenas franquias home based. A marca foi fundada em 2010 e começou o franchising no ano seguinte. São 165 unidades abertas e outras 20 em processo de estruturação. A expectativa para 2015 é comercializar mais 130 franquias. O investimento inicial é de 16,5 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 12,6 mil reais. O prazo de retorno do investimento varia de três a seis meses.

midia-pane-divulgacao

21. Miss Pink

A Miss Pink oferece uma loja móvel com mix de maquiagens, esmaltes e hidratantes, para o empreendedor que quer trabalhar em casa ou fazer parcerias com shoppings, salões de belezas ou outros espaços comerciais. A rede foi fundada no ano passado e tem 12 unidades abertas. A expectativa para 2015 é considerada agressiva pela marca: chegar a 180 franquias vendidas.

O investimento inicial é de 17 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 15 mil reais. O prazo de retorno é de três a 12 meses.

miss-pink-divulgacao

22. Quinta Valentina

A Quinta Valentina é uma franquia de comércio de calçados femininos com um canal de venda direta personalizada. A marca foi criada em 2010, mas só passou a trabalhar com franquias no ano passado. A rede soma 44 unidades em operação, distribuídas por 13 estados. A expectativa da marca é de alcançar 500 franquias até o final de 2015. O investimento inicial da franquia é de 16 mil reais. O faturamento médio mensal é de 14 mil reais e o prazo de retorno do investimento varia de três a 11 meses.

quinta-valentina-divulgacao

23. San Martin Seguros

A San Martin, que trabalha com seguros, tem 97 unidades em funcionamento e espera até o final do ano atingir 200 unidades. A marca foi fundada em 1995 e começou com o franchising em 2014. O investimento inicial é de 14,9 mil reais, tanto para a franquia home based quanto para a de escritório, e o faturamento médio mensal é de 15 mil reais. O prazo de retorno é de seis a oito meses.

san-martin-divulgacao

24. Seguralta

A Seguralta, corretora de seguros criada no interior paulista, existe desde 1968 e começou seu franchising 40 anos depois. A marca tem 700 unidades em operação e espera fechar 2015 com 800 unidades. O investimento inicial é de 22,5 mil reais. O faturamento mensal médio é de 8oitomil reais e o tempo de retorno é de seis a 12 meses. A rede também tem um formato com ponto comercial, chamado “standard”, mas diz que a maioria dos franqueados são home based.

seguralta-divulgacao

25. Sr. Computador

A Sr. Computador é uma franquia de manutenções e serviços em Tecnologia da Informação com atendimento doméstico e corporativo. A rede tem atualmente 35 unidades e espera mais 10 para este ano. A marca aceita franqueados desde 2012. A franquia home based tem um investimento inicial de 25 mil reais, enquanto a média de faturamento mensal para o modelo é de 20 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de seis a 18 meses. A Sr. Computador também oferece os modelos de loja e de conversão de bandeira.

Sr. Computador - divulgação.jpg

26. TRC Sustentável

A TRC Sustentável, rede voltada para o desenvolvimento e comercialização de projetos sustentáveis, tem 37 unidades e pretende ter até o fim deste ano 100 delas. A marca foi fundada em 2004 e adotou o modelo de franchising em 2013. A franquia da rede exige um investimento a partir de 45 mil reais. Se o empreendedor desejar, a unidade pode, após um período, migrar para loja fixa. O faturamento bruto mensal é de 25,2 mil reais. O prazo de retorno do investimento é de quatro meses.

trc-sustentavel-divulgacao

27. Vip House Mais

A Vip House Mais, franquia de limpeza doméstica, está há 10 anos no mercado. A rede tem 16 unidades e a expectativa para 2015 é fechar com 50 delas. A marca oferece serviços como higienização e limpeza residencial e comercial. O investimento inicial para uma franquia é de 34,8 mil reais, enquanto o faturamento médio mensal é de 25 mil reais. O prazo de retorno para o investimento é de 12 a 24 meses. Atualizado no dia 18/08/2015.

vip-house-mais-divulgacao-vip-house-mais

28. Walking Party

A Walking Party, que tem um ônibus customizado para receber eventos, encontros e festas itinerantes, está em operação desde 2013. A marca tem 15 unidades e só trabalha com o modelo de franquia home based. A expectativa de crescimento da rede é de 25% neste ano.

O investimento inicial começa em 50 mil reais. O faturamento mensal é estimado em 30 mil reais e o prazo de retorno do investimento é de seis a 18 meses. É preciso ter de três a quatro funcionários para operacionalizar a franquia.

walking-party-divulgacao

29. Web4br

A Web4br é uma rede de franquias de agências de marketing digital. Hoje, a marca tem 12 unidades ativas e pretende abrir mais seis até o final do ano. A franquia oferece serviços como criação de sites institucionais, ações em mídias sociais, serviço de criação de lojas virtuais, disparo de e-mails marketing e outras ferramentas da web, como Google Analytics e Adwords, além da consultoria na área de design e artes gráficas. A franquia da Web4br tem investimento inicial de oito mil reais, e a estimativa de faturamento média mensal começa com cerca de cinco mil reais e vai até 30 mil, de acordo com o tamanho da cidade. O prazo de retorno do investimento é de quatro a oito meses.

web4br-thinkstock-huchen-lu

30. Zupy!

A microfranquia Zupy! oferece um guia online para lojas, restaurantes, serviços, indústria, lazer, imóveis e veículos para diversas regiões. O franqueado atuará montando o guia de um certo local. São oito unidades da marca atualmente e a expectativa para o ano é abrir mais 10. O investimento inicial para quem trabalha de casa fica em torno de 10 mil reais e o faturamento médio mensal é de seis mil reais. O prazo de retorno do investimento é de três meses. A microfranquia também oferece um modelo com escritório.

Zupy! - divulgação.jpg

Agora que você olhou todas as opções, pode buscar mais informações sobre aquela que mais lhe interessou para saber como abrir a sua franquia. Ou ainda, pode usar as ideias aqui apresentadas para se inspirar e montar o seu próprio negócio.

Independente do setor, do tamanho, da localidade, do que pretende abrir, lembre-se sempre de se planejar para que seus objetivos possam ser alcançados mais facilmente.


 

Já leu nosso último post “Foque no seu cliente e melhore suas vendas”? Confira aqui.

 

Foque no seu cliente e melhore suas vendas

foco-no-cliente-pixabay

Se você tem uma empresa, sabe que o seu cliente é a peça-chave para o sucesso do seu negócio. Afinal, ele é o responsável por consumir seus produtos ou serviços, além de divulgar de forma positiva ou negativa suas experiências.

O comportamento do consumidor tem mudado com o tempo fazendo com que essas vendas se tornem um pouco mais difíceis. Há uns anos, as pessoas consumiam de lugares próximos a ela e recebiam informações sobre determinados estabelecimentos por meio de pessoas conhecidas ou propagandas de mídias tradicionais como televisão, jornal e rádio.

Hoje isso tudo mudou. O cliente pode comprar um produto de outro estado e até mesmo de outro país, pela internet. Ou seja, o número de concorrentes que você possui agora é infinitamente maior. Além disso, os consumidores têm buscado cada vez mais informações sobre uma empresa antes de adquirir qualquer produto ou serviço. Outra mudança importante é que essas informações são buscadas, na maioria das vezes, em sites e redes sociais, onde as experiências são compartilhadas por qualquer um e você, como empresário, não consegue ter controle.

Por tudo isso é fundamental que você coloque seu cliente como o foco principal do seu negócio. Muitos empreendedores erram ao visar o lucro imediato, ao se preocupar e ensinar seus funcionários a se preocuparem com as vendas em si. E isso é um erro terrível.

Os clientes percebem quando o atendimento está sendo realizado com foco no dinheiro, quando a empresa pensa apenas em realizar a venda. E isso pode até levar à venda em si, naquele momento, caso esteja precisando do produto e veja vantagem, mas sua empresa pode ter perdido a oportunidade de cativar um cliente.

Para essa fidelização é necessário mostrar ao cliente que seus interesses são mais importantes que a venda em si. Busque conhecer seu público-alvo, saber seus interesses, as necessidades que eles têm, e entregue a eles o que procuram: segurança. Isso acontece, por exemplo, quando um cliente recebe uma indicação de que na loja concorrente terá o produto que ele procura. Isso mostra que a loja não está preocupada em perder a venda, mas em agradar.

Mostre aos seus clientes os benefícios daquilo que você está oferecendo, mas de forma sincera e não pensando apenas em realizar mais uma venda. Tenha um bom relacionamento com eles. Mais que falar, escute. É importante saber o quê eles precisam para que possa encontrar a solução que ele precisa.

Para que você consiga conquistar o seu cliente é preciso que você saiba exatamente quem é o seu público-alvo. Você não atingirá bons resultados se atirar para todos os lados. É preciso ter foco! Conheça claramente seu alvo para então pensar em como atingir este alvo.

Lembre-se de que a venda deve ser uma consequência de um bom atendimento. Preocupe-se em primeiro lugar com seu cliente e veja que os resultados serão diferentes.

Foque no seu cliente e melhore suas vendas:

Defina seu público-alvo

Defina como atingir seu público-alvo

Conheça seus clientes

Escute seus clientes

Seja sincero com eles


Já leu nosso último post “7 dicas para ter mais sucesso em 2017”? Confira aqui.

7 dicas para ter mais sucesso em 2017

sucesso

O ano mal começou e muitos empreendedores já estão pensando no que fazer para que o sucesso do seu negócio seja cada vez maior. Para auxiliar os empresários a se prepararem desde já, a “Enterpreneur” separou algumas dicas para colocar em prática agora, pensando no futuro.

O site Pequenas Empresas & Grandes Negócios replicou o assunto e nós trazemos aqui para você também.

Então, confira essas dicas para colher bons frutos em breve:

1. Revise seu plano de negócios

Se você já é um empreendedor, provavelmente já possui um plano detalhado da sua empresa. Toda a informação que consta nesse planejamento deve te guiar em suas próximas decisões e ajudar você a conseguir dinheiro emprestado, caso seja necessário.

Mesmo que a maioria desses planos sirva para um prazo de três até cinco anos, não custa nada garantir que o foco original do negócio esteja de acordo com a atual situação da empresa.

2. Foque na sua renda

Um dos erros mais frequentes que empreendedores cometem é colocar dinheiro na empresa somente para ela crescer. Na realidade, é importantefocar em estratégias que deixem o negócio mais rentável.

Muitas vezes, as empresas crescem rapidamente, mas acabam com problemas financeiros, pois contratam muitos funcionários e depois não têm dinheiro para pagá-los.

3. Estabeleça uma meta de poupança

Estabeleça uma meta de poupança para o ano. Este objetivo deve ser mensurável, atingível e realístico. Pense, por exemplo, em criar um fundo de emergência que manterá a empresa funcionando de três a seis meses em caso de emergência.

4. Acompanhe as mudanças em impostos

Talvez não haja grandes mudanças de um ano para o outro, mas é importante estar de olho em novas leis federais, estaduais ou da sua cidade. Fique atento às taxas que crescem ou decrescem e o que pode ou não ser dedutível. As mudanças nos impostos podem influenciar o sucesso do seu negócio. Antecipe-se a elas.

5. Fique atento aos salários no seu setor

Todos os anos, os novos salários nas diferentes indústrias são divulgados, de acordo com a deliberação de cada sindicato. É importante encontrar esses dados e usá-los como base para oferecer aos funcionários um salário competitivo e se planejar financeiramente de acordo com esse reajuste.

6. Avalie seu portfólio de produtos

O final de ano é um ótimo período para revisar a oferta de produtos e serviços oferecidos pela sua empresa. Passar o olho por cada item do seu portfólio é uma ótima chance de se livrar daqueles que não são mais rentáveis e adaptar seu negócio às novas necessidades do mercado.

7. Desafie o status quo

Não deixe seu negócio cair na comodidade e na monotonia. Não estar aberto a mudanças na empresa é um dos caminhos mais rápidos para seu fim. Comece a pensar em como aumentar as margens de lucro e como alavancar seus produtos ou serviços para torná-los mais rentáveis e segmentar da melhor forma os seus clientes.

Aproveite que o ano está só começando, coloque essas dicas preciosas em prática e faça de 2017 o ano da sua empresa!


Já leu nosso último post “Marketing — Como anda a divulgação do seu negócio?”? Confira aqui.

Marketing — Como anda a divulgação do seu negócio?

mk

Divulgar a marca, serviço ou produto da sua empresa é fundamental para que o negócio se mantenha, afinal, é preciso que seus clientes lhe conheçam, lhe indiquem, lhe procurem. Essa divulgação pode ser feita por meio de diversas ações, sejam de publicidade ou de apelo social, levando, assim, ao aumento das suas vendas e o lucro da empresa.

E saiba que estabelecer boas estratégias de marketing é importante para empresas grandes, que já têm nome consagrado, mas também para as pequenas empresas, que precisam ver seu empreendimento crescer. Para isso você pode optar pela terceirização do serviço, contratando profissionais no assunto. Isso vai garantir uma maior assertividade nas estratégias e ações para conquistar clientes, desenvolver projetos de comunicação e identificar tendências, deixando sua empresa à frente da concorrência.

Porém, se você não tem condições de contratar uma assessoria para isso no momento, pode optar, por exemplo, em procurar uma instituição que ofereça este tipo de capacitação. Com informações específicas você consegue realizar algumas ações pontuais e ver resultados positivos no seu negócio.

Ao contrário do que muitos pensam fazer ações para chamar a atenção do cliente não requer gastar rios de dinheiro. Você pode ter planos efetivos e que não custam muito. Confira algumas ações:

1. Esteja nas redes sociais

As redes sociais têm sido cada vez mais utilizadas por todos e se tornou um espaço fundamental para divulgar o seu negócio. Mas não basta apenas estar lá, é preciso saber usar essas ferramentas para que ela se torne sua aliada. Divulgue informações úteis para quem segue o perfil da sua empresa. Busque passar dados relevantes e interessantes para seu público.

2. Direcione sua ação

Sua marca precisa estar nos lugares em que seu público-alvo está. Procure saber onde seus potenciais clientes se encontram e busque levar seu negócio até eles, seja com panfletos, um pequeno quiosque ou fazendo parte das associações e clubes voltados para o setor em que atua.

3. Faça parcerias

Faça promoções conjuntas com outros empreendedores que tenham relação com o seu público-alvo. É possível conquistar novos clientes com essa ação de ajuda mútua.

4. Promova atividades Externas

Tente alinhar sua atividade a eventos que possam atrair seus clientes, como abertura, promoção ou aniversário da sua empresa, ou até mesmo trabalhar em parceria a eventos de terceiros, que possam atrair seus potenciais clientes. Dessa forma você pode conquistá-los aos poucos, sem precisar atuar de forma direta.

5. Envie e-mails

O e-mail marketing é uma ferramenta muito utilizada para divulgação de produtos e serviços. Para que seu e-mail não se torne apenas mais um entre os vários que seu cliente recebe, é preciso ser criativo e nunca abusar da paciência dos internautas para ler e-mails comerciais. Esse tipo de correspondência precisa ter valor para quem lê. Uma desvantagem é que o e-mail pode vir a ser classificado como spam ou até mesmo ser excluído sem ser lido. Lembre-se também de observar as regras de privacidade e boas maneiras desta ferramenta.


Já leu nosso último post “Como empreender usando o 13° salário”? Confira aqui.

Como empreender usando o 13° salário

13

O fim de ano está chegando e, com ele, o tão esperado 13º salário. É um dinheiro muito aguardado e os planos são diversos: pagar dívidas, adquirir algo que quer muito, fazer as compras de Natal, guardar na poupança… E por que não empreender? É isso mesmo. Se seu sonho é se tornar dono do próprio negócio saiba que é possível fazer isso com o salário adicional de fim de ano.

O consultor do Sebrae SP Wagner Paludetto falou com o Pequenas Empresas & Grandes Negócios, dando orientações para quem pretende empreender. Segundo ele para isso é fundamental ter um planejamento bastante estruturado.

Confira alguns pontos essenciais que precisam ser levados em conta ao usar o 13º para abrir um negócio:

1. Veja se realmente vale a pena

Antes de tudo, para o consultor, pessoas endividadas devem adiar o sonho de empreender. “É altamente improvável que alguém com dívidas tenha condições de pagar o que deve, estruturar um negócio e prosperar. Nossa orientação é que o interessado em empreender se organize financeiramente e, após isso, planeje a abertura do próprio negócio”, afirma ele.

Se a pessoa não estiver confiante o suficiente para empreender ainda, Paludetto aconselha que o 13° seja realocado para algum tipo de investimento. “Nem precisa ser nada complexo. Colocar o dinheiro no tesouro direto ou no CDB fará seu dinheiro render. Dependendo do perfil do empreendedor em potencial, investir pode ser o melhor caminho”, diz Paludetto.

2. Planeje

De acordo com o consultor do Sebrae SP, o planejamento é um recurso importante para quem empreende, especialmente quem tem recursos escassos. “Deve-se primeiro tirar as ideias da cabeça e pensar em ideias de negócio. Depois, a dica é escolher uma área que o empreendedor já domina, o que pode aumentar as chances de sucesso.”

Com o negócio escolhido, o empreendedor deve pensar no objetivo que almeja em sua empreitada. “A recomendação é que o empreendedor veja, a partir de suas condições financeiras, aonde quer chegar, sem dar passos maiores que a perna. Se o dinheiro não der, vale diminuir as metas ou mudar de área”, diz Paludetto.

3. Conte com o apoio de sua família

Se alguém recebe o 13° e quer abrir um negócio, espera-se, pelo menos na maioria dos casos, que o empreendedor conciliará seu emprego a essa atividade paralela. Por isso, é importante relembrar que essa “jornada dupla” vai afetar a rotina.

Um dos maiores impactos será sentido pela família do empreendedor. “O tempo passado com a família pode ser usado na gestão do negócio. É importante contar com a compreensão e com o apoio das pessoas queridas nestes momentos”, afirma Paludetto.

4. Tenha muita disciplina financeira

Paludetto diz que um dos segredos para multiplicar ganhos em um negócio com pouco dinheiro é reinvestir o máximo possível dos lucros na empresa. “Para crescer, é preciso ter recursos. Tire o mínimo possível dos lucros da sua empresa. Use o que faturou para comprar mais produtos”, diz.

5. Fuja dos bancos

Falando em finanças, Paludetto afirma que o ideal é não pedir ajuda a bancos no começo de uma empresa criada com o dinheiro do 13°. “O empréstimo traz um peso muito grande para um empreendedor iniciante. Por isso é bom planejar”.

Se realmente for preciso buscar dinheiro, o consultor recomenda que o empreendedor venda ou penhore algum bem. “Assim, não haverá juros. Ninguém irá cobrar o empreendedor”, diz.

Como você percebeu o planejamento é fundamental para que os resultados do seu investimento sejam positivos. Pense bem na decisão que vai tomar, busque mais informações sobre o ramo em que pretende atuar, procure instituiçõesespecialistas em empreendedorismo que possam oferecer capacitações e apoio para este momento tão importante e transforme 2017 no seu ano.


Já leu nosso último post “A importância do Feedback nas empresas”? Confira aqui.

A importância do Feedback nas empresas

f

Você já parou para pensar o quanto o feedback pode ser importante na sua empresa. Pois é, ele pode ser muito mais valioso do que você imagina. No blog de hoje convidamos você, empresário, a pensar sobre o feedback que envolve sua empresa e, muitas vezes, não chega ao seu conhecimento. Caso não saiba o significado, feedback é o retorno positivo ou negativo, que o receptor dá ao emissor. No seu caso, seria a opinião dos seus clientes sobre a qualidade no atendimento, nos produtos ou serviços e nos preços.

Mas por que esse retorno é tão importante? Porque é como seus clientes enxergam o seu negócio e a imagem que eles podem estar passando para outros potenciais clientes.

Ao ouvir seu público, você passa a ter informações que podem lhe ajudar a gerir melhor o seu negócio. Por exemplo, se souber que seu novo produto não esta agradando a maioria da sua clientela, você pode pensar em algo que mude esse quadro. Porém sem o feedback você poderia não perceber com tanta clareza ou com tanta rapidez esse “problema”, que talvez tenha solução rápida e fácil.

Quando você está aberto para receber um retorno dos seus clientes, é possível resolver situações que estejam atrapalhando o bom andamento das suas vendas ou prestação de serviços.

Tipos de feedback

Aqui vamos abordar dois tipos importantes de feedback: o positivo e o negativo. O positivo é o retorno de seus clientes satisfeitos. Assim você descobre o que tem agradado o seu público e pode realizar a manutenção desse serviço já que ele é um ponto positivo ao seu negócio.

Já o feedback negativo são as reclamações que os clientes têm de sua empresa. Ninguém gosta de receber criticas, mas se você transformar essas críticas em sugestões, o retorno negativo pode se tornar algo positivo, pois sabendo o que não agrada seu cliente você pode tomar providências e realizar mudanças com o objetivo de deixar seu público-alvo satisfeito.

Ouvir opiniões, reclamações, sugestões dos seus clientes é muito importante para o crescimento da sua empresa. Mas você não pode deixar de escutar também os seus funcionários, afinal são eles que estão em contato direto com o público-alvo, eles representam a empresa e precisam se sentir bem no local de trabalho para que o bom atendimento seja realmente realizado.

Se você não tem essa prática dentro do seu negócio, implantar essas mudanças pode ser um desafio. Pergunte a eles como tem sido os dias de trabalho; qual o retorno que os clientes têm dado; pergunte se mudariam algo na empresa.

Dicas

Uma saída é implantar algumas ferramentas simples que estimulem a participação e interação da equipe. Uma caixa de sugestões ou um grupo de e-mail podem ser o ponto de partida. Você pode premiar as melhores ideias e sugestões implementadas e divulgá-las nos meios de comunicação interna. Isso servirá de estímulo para a participação de outras pessoas.

Realizar pesquisas internas também é uma boa forma de começar um diálogo com os colaboradores. As pesquisas podem ter temas variados desde a satisfação com os serviços internos, política de remuneração ou lançamentos de produtos e serviços.

Eventos de integração, além de motivar, também podem promover a comunicação entre os líderes, suas equipes e os setores que possuem pouco contato. Nesses encontros podem surgir soluções para diversos problemas e muitas ideias. O segredo é sempre estimular a participação e o diálogo e reconhecer aqueles que contribuem de forma positiva. Aos poucos, a cultura empresarial se modifica e a prática do diálogo passa a acontecer naturalmente.

Lembre-se: o mais importante de tudo é estar preparado para receber o retorno. Muitas vezes ele não será positivo e nem será aquilo que você espera. Saiba receber esse feedback da melhor forma, podendo aproveitá-lo. Além disso, busque melhorias para os problemas identificados. Não adianta nada descobrir que algo não anda bem e não fazer nada para mudar, certo?


Já leu nosso último post “7 aplicativos que vão facilitar a vida de quem trabalha com home office”? Confira aqui.

7 aplicativos que vão facilitar a vida de quem trabalha com home office

app

O home office hoje é um dos grandes temas quando o assunto é trabalho do futuro. É um conceito de modelo empresarial que tem sido cada vez mais adotado por muitos empreendedores. Porém para trabalhar em casa é preciso estar motivado, ter um bom planejamento e organização. Afinal, o conforto e outras atividades podem desviar a atenção do trabalho.

Se você é um destes empreendedores que têm essa rotina de trabalhar em casa, saiba que a EXAME.com preparou uma lista com 7 aplicativos que vão facilitar a sua vida. Confira:

Wrike
O aplicativo de gerenciamento de projetos é uma opção para quem está envolvido em projetos a distância. É possível criar tarefas e mencionar diretamente outros usuários dentro da plataforma e todos os dados podem ser acessados em tempo real. Além disso, o Wrike é integrado com outros programas como o Word e o Google Drive, permitindo o acesso de várias formas. O aplicativo tem versões gratuitas (para até cinco usuários) e assinadas (a partir de US$9,80/mês) e funciona tanto para iOS quanto para Android.

Dropbox
O aplicativo de armazenamento em nuvem é um clássico entre os usuários. O serviço armazena e compartilha arquivos (fotos, vídeos e documentos) permitindo acessar de vários dispositivos. O Dropbox é uma saída para enviar arquivos de dentro do escritório para casa e suporta pastas mais pesados, diferente dos e-mails convencionais. Está disponível gratuitamente para Android e iOS.

Evernote
O Evernote é uma versão com mais recursos do tradicional bloco de notas. Com o aplicativo é possível não só fazer anotações digitais como criar lembretes, listas e cadernos específicos e adicionar imagens aos textos. Todos os arquivos produzidos no Evernote podem ser sincronizados de qualquer dispositivo, basta acessar com o login e senhas pessoais. O serviço gratuito está disponível para Android e iOS e também pode ser acessado via desktop. O plano plus permite compartilhamento de mais arquivos e acesso offline e custa R$ 40 por ano.

Asana
A plataforma permite a criação de projetos em colaboração com outros usuários, além de ter uma interface bem simples de contato com outros membros da equipe. Dentro do aplicativo é possível estabelecer metas, tarefas e estipular prazos. O modelo do aplicativo é dividido em três partes: tarefas para hoje, tarefas que estão por vir e tarefas sem data definida. A ferramenta está disponível para iOS e Android, gratuitamente.

Google Hangouts
O Google Hangouts permite ligações, chats e videoconferências de qualquer lugar, basta estar conectado à internet. O serviço é uma alternativa para as ligações por operadoras de telefonia que cobram pelo serviço. No Hangouts, é possível gravar as conferências em vídeo, o que pode ser muito útil para reuniões. O aplicativo é gratuito para Android e iOS e também pode ser acessado pelo computador.

Parallels Access
O aplicativo permite sincronizar smartphones e tablets para que o usuário possa ter acesso aos arquivos dos dispositivos cadastrados através do aplicativo. É possível, por exemplo, acessar arquivos de um computador através da plataforma. A ferramenta está disponível para Android e iOS e é gratuita para apenas um usuário. Os planos para empresas custam a partir de R$ 310.

Toggl
A plataforma permite que o usuário controle as horas trabalhadas através da criação de gráficos e da organização das tarefas. Com os registros, é possível saber quais missões tomam mais tempo durante o dia. Há versões gratuitas e corporativas do aplicativo e os planos começam a partir de US$ 10 por mês. O Toggl está disponível para sistemas Android e iOS.

Agora que você conheceu algumas ferramentas que podem auxiliar seu trabalho, veja aquele que poderá ser mais útil para você, baixe agora mesmo e otimize seu tempo, melhorando seus resultados!


Já leu nosso último post “Lucrando com a Black Friday”? Confira aqui.

Lucrando com a Black Friday

u

A Black Friday surgiu como uma data de mega descontos do varejo norte-americano e ganhou o mundo. Incorporada ao calendário brasileiro, o dia é dedicado a promoções e pode ser uma ótima oportunidade para as pequenas empresas destacarem-se no mercado.

No inicio a Black Friday era realizada somente no universo online, o que mudou muito nos últimos anos, trazendo assim a mega promoção também para o espaço físico, gerando mais uma opção a você, empresário, e aos seus consumidores.

De acordo com pesquisa do Google, divulgada no site E-commerce Brasil, o curto período da Black Friday de 2015 foi mais poderoso para alavancar as vendas do que as duas semanas que antecederam o Dias das Mães, tradicionalmente a segunda melhor data do varejo brasileiro.

Segundo a pesquisa, a expectativa é que este ano o resultado também seja positivo, já que, apesar da queda geral no consumo, as vendas vêm crescendo nas datas especiais: aumentaram 8% no Dia das Mães deste ano, 12% no Dia dos Pais e 16% no Dia dos Namorados.

E a participação dos pequenos negócios na Black Friday também tem crescido, pelo menos no comércio eletrônico, segundo pesquisa realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net). As duas instituições concedem, anualmente, um selo promocional para as empresas que se cadastram na promoção e de 2013 para cá, o número de pequenos negócios aderindo cresceu 243%.

E o seu negócio? Também vai participar desta data? A Black Friday deste ano será realizada no dia 25 de novembro. Se você quer participar e lucrar, APROVEITE que ainda dá tempo, CONFIRA as dicas que preparamos abaixo e MÃOS À OBRA!

· Planeje suas vendas para o dia: defina a faixa de descontos que será oferecida para cada categoria de produtos;

· Não crie falsas promoções, tentando enganar o consumidor. Faça boas ofertas, mas ATENÇÃO: oferecer descontos indiscriminadamente poderá colocar em risco a saúde financeira da empresa. Por isso aproveite o tempo que tem e faça um planejamento correto.

· Aproveite para queimar itens de menor giro com essas promoções, mas lembre-se que os itens novos são os que chamam a atenção, então, prepare algo especial para eles também.

· Aproveite a mídia espontânea da Black Friday. É bem provável que acessem seu site/página, visitem seu estabelecimento para saber se você tem alguma oferta;

· Este será um momento importante para aumentar a base de clientes. Não pense somente no lucro desta data específica, pense no potencial de vendas a longo prazo;

· Deixe sua vitrine bem atraente. É fato comprovado: uma vitrine adequada pode aumentar as vendas em até 30%.

· Na loja virtual não ofereça prazos impossíveis de serem cumpridos. Se for necessário, amplie o prazo atual para que possa realizar o que prometer;

· Divulgue as promoções nas redes sociais;

· Treine/capacite sua equipe para atender bem os clientes. Um bom atendimento pode gerar uma boa propaganda “boca a boca”.

· Ofereça meios de pagamentos (sempre mais de uma bandeira de cartão de crédito);

· Deixe o ambiente aconchegante: temperatura, luminosidade e sonorização.

Se você possui um e-commerce também pode aproveitar para participar dacampanha Black Friday Legal, da câmara-e.net. O objetivo é criar um ambiente de confiança e promover as boas práticas no e-commerce durante o período da Black Friday. Além de emitir o Selo Black Friday Legal 2016 às empresas participantes do programa, a camara-e.net também capacita as lojas virtuais para que possam se preparar melhor para a data promocional.


Já leu nosso último post “Como gerir uma empresa familiar?”? Confira aqui.

Como gerir uma empresa familiar?

fami.jpeg

Gerir esse tipo de negócio significa ter que lidar com as questões emocionais relacionadas à família e, ao mesmo tempo, com a racionalidade. Se você tem uma empresa com um irmão, pai, mãe, primo, tia, saiba que não está sozinho.

No Espírito Santo, isso é bastante comum. Segundo dados do Relatório Especial Sobre Empresas Familiares, do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 64% dos pequenos negócios capixabas possuem parentes entre seus sócios ou colaboradores. Com isso, o Espírito Santo está em terceiro lugar nacional no ranking de empresários que trabalham em família.

Ter uma empresa familiar possui diversas vantagens, como o elo de confiança existente; comunicação, muitas vezes, mais fácil e direta e interesses em comum. Segundo a pesquisa Retratos de Família, da consultoria KPMG, realizada em 2015 com empresários, entre os principais pontos fortes de uma organização familiar estão a tomada de decisões rápida e flexível, o foco no core business e a visão de longo prazo.

Porém, existem alguns aspectos que podem ser considerados as fraquezas da administração familiar, como conflitos de interesses entre família e empresa; rivalidades pessoais e planejamento financeiro priorizando a família e depois os negócios.

Resumindo: mesmo quando a formação empresarial dos sócios é consistente, se não houver regras e planejamento dentro da empresa, podem ocorrer situações que afetem negativamente a sobrevivência do negócio.

É preciso que todos na empresa tenham consciência de que a empresa precisa ser independente, que precisa crescer e para isso necessita da geração de lucro que possibilite uma larga evolução. Os envolvidos na gestão precisam unir forças para vencer os conflitos e ainda realizar uma administração coerente, que busque aperfeiçoar os controles administrativos e os recursos humanos, pois são as chaves para se alcançar o sucesso em qualquer gestão.

Para que sua empresa familiar possa prosperar, separamos 6 dicas valiosas:

1. Defina as regras

É bom estabelecer regras claras desde o início, definindo as funções e responsabilidades de todos os envolvidos, conscientizando a todos que são colaboradores e que, portanto, serão cobrados constantemente.

2. Planeje as ações

O planejamento é fundamental e deve ser acompanhado sistematicamente. Construa os valores da empresa juntos, para que todos possam entender aonde a empresa quer chegar, definindo metas e prazos.

3. Conversem sobre o controle financeiro

A empresa deve ser tratada como tal e é preciso que todos tenham consciência de que o dinheiro da empresa não pode ser misturado com as finanças pessoas.

4. Não dê privilégios aos familiares

Trate seus parentes da mesma forma, como trata seus funcionários. Se o seu parente não for cobrado tanto quantos os outros, pode causar mal exemplo e prejudicar a produtividade. Importante também que os salários definidos para cada funcionário seja de acordo com suas competências e não por nível de parentesco.

5. Veja a empresa como uma empresa

Evite tomar decisões em momentos de abalo emocional, não deixe que desentendimentos por assuntos familiares sejam levados para dentro da empresa.

6. Crie um conselho familiar

Para garantir a transparência e ajudar nas definições de critérios e regras, uma boa alternativa é criar um conselho de família, onde os membros se reúnam esporadicamente para discutir, resolver conflitos e também alinhar os objetivos e valores da família com os da empresa.

Evitar conflitos em uma empresa familiar é possível se houver planejamento e esforço por parte dos envolvidos. O segredo está em buscar o máximo comprometimento dos sócios e criar um ambiente de cumplicidade e unidade em torno dos objetivos comuns.


Já leu nosso último post “Redes sociais: aliadas ou vilãs do seu negócio?”? Confira aqui.